BANNER TOPO #1

BANNER TOPO #1

BANNER TOPO #2

BANNER TOPO #2

CRÍTICA | Like a Virgin - Episódio Final


Like a Virgin - Episódio Final
Direção de caca706
Roteiro de caca706

Crítica de .Carioca

Depois de muito tempo de espera, Rose e Fred estão de volta para o adeus mais
emocionante já visto no Habbo, e para colocar caca706 no topo dos melhores diretores habbianos.

O que representa crescer e amadurecer na vida de uma pessoa? Enfrentar os desafios que a vida nos impõe e superá-los? Talvez. Eu acredito que cada um de nós entenderá isso de uma forma e num momento diferente de nossas vidas. Para caca706, diretor da série Like a Virgin que após dois anos chega ao seu fim, a vida é imprevisível e cheia de surpresas. A série, como já disse em outras criticas, é muito mais do que uma comédia sobre uma prostituta e seu melhor amigo gay,  mas o diretor nunca quis deixar a verdadeira mensagem explicita, decisão inteligente, pois como produto de entretenimento Like a Virgin é um sucesso gigantesco - vide a espera e cobrança dos fãs por um novo episódio. Mas o diretor não vem de referencias cinematográficas vazias e superficiais para simplesmente criar produtos da cultura de massa e desvirtuar sua arte deixando-a sem significado. Longe disso, caca foi além do que qualquer outro diretor habbiano já fez, ele compreendeu que a obra de um artista é sua visão do mundo, e neste último episódio o diretor deixa bem claro suas opiniões pessoais.

A série desde o inicio foi uma grande metáfora, começando pelo título, que apesar de cômico na verdade é um indicador para a principal mensagem que conduz toda história até o seu fim. E talvez nem mesmo caca tenha percebido o quanto pessoal e subjetivo a série foi para ele. Episódio após episódio não era só Rose que colocava suas inseguranças a vista do público, mas também o diretor deixava claro sua preocupação com temas cotidianos em que brilhantemente os citava de forma humorada e inteligente, expondo estereótipos da sociedade atual à sua maneira subvertendo o jeito com que as pessoas estão acostumadas a pensar, mostrando um lado irônico e bastante crítico, mas que infelizmente é pouco ou quase nada notado pelo público em geral. Like a Virgin não é só sobre a história de Rose, todos nós temos nossas dores internas com as quais temos que lidar todos os dias, coisas pelas quais não dividimos nem com nossos melhores amigos. Tudo que vemos e vivemos, que nossos pais tentam nos dizer que é bom e ruim, situações constrangedoras e de perigo que nossos amigos nos colocam, o primeiro beijo, a primeira transa, o primeiro emprego, namorada e assim por diante. Lidamos com tantas coisas sem perceber e mesmo assim levamos tudo isso conosco. 

Amadurecer... Nossas experiências de vida nos fazem crescer e enxergar o mundo de maneiras diferentes. Rose cresceu e junto com ela (ou seria antes dela?) caca cresceu junto e criou um subtexto para sua série para mostrar ao mundo aquilo que pensa, sente e quer da vida dele. Não me impressionei com os últimos minutos do episódio pelo acontecimento em si, mas pelo diretor ter conseguido contar tudo isso que queria através de uma série no Habbo. Espero com sinceridade que cada uma das pessoas que assistirem a esse episódio possam tirar suas próprias conclusões e pararem para refletir um pouco sobre como quererem viver suas vidas e o que farão para se sentir realizados. 

Like a Virgin cria então uma nova definição do que é um bom diretor. caca706 não tem medo de se arriscar na direção e edição, usa e abusa da experimentação de planos e ângulos (um pouco de linguagem técnica para classificar esse texto como crítica, assim como a série a deixei muito pessoal e mais parece um comentário), efeitos sonoros, e talvez o principal diferencial que foram os movimentos de câmera - o 360º com zoom no final do vídeo ficou espetacular. E lógico, o roteiro bem escrito, uma aula de como desenvolver personagens, algo que está faltando muito hoje em dia. 

Assim como algumas produções marcaram história no cinema habbiano (Visions, Feiticeiro, Intruso...) Like a Virgin não só marca este final de ano, não só o cinema habbiano, mas o melhor de tudo a vida de muitas pessoas que sempre se lembrarão de Rose e Fred, de uma amizade muito forte, de momentos hilários e de como a vida apesar dos apesares pode ser incrivelmente linda e cheias de boas histórias (eu certamente leria o livro de Rose, apenas uma pequena sugestão para o diretor). Ao final dos créditos o diretor diz "Obrigado!", porém somos nós que devemos agradecer e esperar que mais produções com esse nível de qualidade sejam feitas no Habbo.

O cinema é arte e Like a Virgin é uma obra-prima.

5 Pipocas - Excelente
Leia outras notícias relacionadas da Pixel Movies
Leia outras Críticas

0 comentários:

Postar um comentário